quarta-feira, 25 de junho de 2014

UM DISCO DE PUNK ROCK LANÇADO EM 1983 TINHA UM CLIPE MUSICAL EM SEU LADO B - COM VÍDEO


O lado B do single “Camouflage”, do artista britânico Chris Sievey, lançado em 1983, parece um turbilhão inaudível de barulho. Não é nenhum tipo de canção de vanguarda; é um programa para o computador ZX-81, e se você conseguir carregá-lo corretamente, verá um clipe animado em computador (de maneira bem rudimentar), codificado nas ranhuras de um disco de vinil.


Esse pequeno detalhe é bem conhecido dos fãs da música punk do começo dos anos 80, mas o UsVsTh3m voltou a falar sobre isso e vale a pena relembrar a história. Chris Sievey, além de ser membro da banda The Freshies e a cabeça por trás de Frank Sidebottom, era também um entusiasta de computação, especialmente do ZX-81. A pequena máquina pesava 340 gramas e não tinha nenhuma parte móvel, nem tela (ele era conectado à TV), equipado com 1kB de memória interna e armazenava dados em fitas cassete a 250 Baud.

Isso significa que, hipoteticamente, você também poderia enviar dados da maneira oposta: o lado B do single de Sievey duplicava os sinais sonoros de três programas para o ZX-81 escritos por ele. Dois deles eram versões de um jogo chamado Flying Train, e o outro era o clipe musical visto abaixo:

video

Para fazer o pequeno truque funcionar, você precisaria em primeiro lugar comprar o disco, gravar o lado B em uma fita cassete, e então carregar os dados da fita no seu computador ZX-81. Imprecisões em algum desses passos prejudicam o resultado final.

O YouTuber soundhog09 conseguiu rodar o vídeo depois de encontrar uma cópia em boas condições do disco – e ele ainda deve que limpar as ranhuras do vinil com cola de acetato de polivinila, além de limpar digitalmente o som resultante antes de transferir para uma fita cassete. E aí ele rodou a fita em um emulador do ZX-81. A descrição feita por Soundog09 no YouTube explica como foi todo o processo:

Poucas pessoas fizeram experiências com dados de computador em vinil, ou mesmo em flexidiscs, no início dos anos 1980. A taxa de sucesso para carregar esses arquivos era mínima, e muitos artigos de revistas da época lamentam o fato. Um arranhão, uma marca ou até mesmo um trabalho de corte ou masterização ruim inviabilizaria tudo.

Três décadas depois, o produto final é um pouco simplista, mas não totalmente obsoleto. É um estilo gráfico que artistas e músicos acham fascinante hoje em dia, e a experiência de Sievey prenunciou a chegada dos Enhanced CDs que ofereciam diversos extras quando colocados no drive de CD-ROM de um computador.

E agora, enfim, temos a tecnologia necessária para apreciar um programa de computador codificado em um disco de vinil em 1983. 

Fonte: UsVsTh3m

Segue o link do Canal no YouTube e o Blog
Gostaria de adicionar uma sugestão, colabore com o NÃO QUESTIONE

Este Blog tem finalidade informativa. Sendo assim, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença" (inciso IX). As imagens contidas nesse blog foram retiradas da Internet. Caso os autores ou detentores dos direitos das mesmas se sintam lesados, favor entrar em contato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário